quarta-feira, 28 de maio de 2008

O Bunny é canadense!!!


Gente, a partir de hoje o Bunny já é um coelho legalizado canadense!!

Sim, sim, recebemos hoje a visita do veterinário responsável pela quarentena do Bunny e depois de fazer um carinho nele (no Bunny) recebemos a declaração oficial de que ele passou pela quarentena, teve tudo aprovado e já é canadense :)

Estou devendo desde o outro blog contar um pouco mais sobre a saga de trazer o Bunny para cá, né? Estão com paciência? Olha q para esse assunto, eu já perdi completamente... rss... vou tentar resumir, tá?

Bom, tudo começou em Janeiro desde ano, quando resolvemos que não iríamos deixar nosso mimadinho no Brasil. De lá pra cá, nem sei quanto tempo eu perdi correndo atrás de informação, conversando com gente no Brasil e no Canadá, fuçando sites e mais sites, até que descobri que para trazer o Bunny eu precisaria de:
- uma autorização de importação para o Canadá, que deveria ser tirada pelo menos um mês antes da saída do brasil;
- uma autorização de exportação que o Ministério da Agricultura teria que me dar, com base na autorização de importação;
- e finalmente, uma autorização da Air Canada para que o Bunny, considerado um animal silvestre e não um animal de estimação, fosse transportado para o Canada como animal de estimação, resumindo, pudesse viajar como um cachorro ou um gato.

Bom, a primeira coisa que consegui resolver foi a autorização da Air Canada, que sem muita enrolação, apenas alguns e-mails e telefonemas no Brasil e no Canada, obtive o código. Vale comentar que depois, no dia da viagem, quando passamos no check-in e a pessoa perguntou se era cachorro ou gato que estávamos levando, a gente teve q dar aula para ela de como ela faria o registro, qual era o código, onde colocar e que realmente já tinha uma anotação da Air Canada de dia tal, em nome de tal... e aí deu tudo certo!

Depois, o segundo q conseguimos resolver foi a autorização de importação, mas foi um looongo caminho.Como existe uma doença viral hemorrágica que dá em coelhos na europa, o pessoal daqui do Canada fica em pânico em saber que de repente o virus possa chegar aqui, e como nós estamos vindo de um país tropical, até eles entenderem que não temos esse vírus... vai papelada: atestado de saúde, certificado de posse desde que o Bunny era pequenininho, idade, cor, raça, peso e blá blá blá... e tudo com tradução juramentada, claro!! E manda papelada pra cá, pra lá... até que consigo falar com o veterinário responsável (por sinal, o mesmo que esteve aqui em casa hoje!) e descubro que o Bunny pode vir, mas que teria que ficar em quarentena, sob observação, para só depois ter o alvará de liberdade. Ok, sem problemas, até pq a quarentena pode ser com a gente, mas com duas ressalvas: tem q ser em uma casa e a casa tem que ser pré-aprovada antes da vinda dele!!

Aí começou a correria pois nossos planos iniciais eram para um apartamento... só que para a quarentena não tinha jeito, tinha q ser casa... bom, fomos atrás de uma casa. E nessas horas q os amigos se tornam mais especiais ainda, ajudaram passando contatos importantes (como a dona da casa onde estamos agora), receberam aqui o veterinário para inspeção, mandaram documentação pra gente... foram realmente excepcionais! Para terminar, recebemos a autorização em mãos em São Paulo, vindo diretamente pra gente com um outro amigo brasileiro que estava indo pro Brasil, este, nem temos como agradecer por tanto que faz por nós!!

Com a autorização de importação em mãos, só faltava a documentação brasileira, que teoricamente deveria ser a mais fácil e rápida pois eram só carimbos, assinaturas e verificação de dados.

Bom, nem preciso falar que foi a parte mais difícil, né? Lembro de uma sexta-feira onde uma senhoura me deixou esperando por quase 3 horas para carimbar a folha e fazer uma rubrica... isso pq não tinha ninguém na minha frente!Depois, foi a vez do Ministério da Agricultura no Aeroporto de Cumbica, meu Deus, o que era aquilo (ou o que é aquilo??). Má vontade desde a sinalização até o "até logo", vi o desespero de outras pessoas que não estavam com a informação correta e a falta de sensibilidade humana em passar um telefone sequer... foram mais duas horas de espera por um carimbo e um selinho, sendo que conversando com outras pessoas, nem sempre se consegue o que se precisa pois deu o horário eles fecham e te deixam falando sozinho, tem um risquinho não aceitam e mandam fazer tudo de novo, ou seja, implicam mesmo pq não fazem questão nenhuma de fazer o trabalho deles. E o pior, não podemos nem brigar nem criar confusão pq senão, aí sim que não sai nada.

Depois de muito rezar, já no dia da nossa viagem, consegui tudo que eu precisava e embarcamos! Não sei se eu estava tão nervosa por tudo que estava acontecendo, já estava com os nervos à flor da pele de tanta documentação, ou mais apreensiva ainda por saber que o Bunny teria q encarar tantas horas no babageiro que, antes de entrar no avião, ficamos sabendo de um caso de um gatinho q chegou congelado e morto pq esqueceram de ligar o aquecimento no compartimento de bagagem (sério, parece inclusive que entraram com processo contra a Air Canada)... e nossa, cheguei no avião avisando toda tripulação sobre o Bunny... e como para embarcar tbm tinha sido um caso raro, todos realmente já estavam sabendo dele. Nem preciso falar que cada vez que acontecia uma turbulência meu coração ia lá pro bagageiro junto com o Bunny, das 10 horas de viagem que geralmente vou capotada, se dormi 4 horas foram muitas... acho que estava tão na minha cara a preocupação que assim que aterrissamos aqui, o próprio comandante veio me avisar q o Bunny estava bem, que já tinha desembarcado e que era só pegá-lo no portão B.

Nem sei quanto tempo mais demoramos na imigração ou pegando nossas malas, só sei que quando chegamos no lugar e eu vi o Bunny deitadinho, só esperando, nossa, tive até vontade de chorar!!
Depois disso foi só ir para casa e na primeira saída para compras, a prioridade foi o Bunny: comidinha, potinhos, brinquedinhos... como se fosse (e como foi) o primeiro dia de vida dele na nossa casa.

Falei que ia escrever pouco mas me empolguei de novo, né? rsss

Sei que se vc ama o seu bichinho assim como eu amo os meus, entende exatamente o que nós passamos e uma coisa eu garanto: a felicidade de estarmos com nosso mimadinho aqui, que depois de um tempo se acostumou e que agora já está todo feliz novamente, paga qualquer dinheiro e qualquer esforço que fizemos! Não imagino como estaríamos aqui sem um bichinho de estimação, mesmo que seja um bichinho atípico, ele tem um negócio chamado amor incondicional, que tanto nos faz bem e que, principalmente, ainda temos muito a aprender com ele!

Ah, e vale lembrar da quantidade de pessoas que conhecemos por causa dessa saga, o grande contato que tivemos com o Consulado Canadense em São Paulo, a atenção e informação de tantas pessoas... não tem jeito mesmo, quando fazemos com amor, no final, tudo dá certo!

boa noite, bjs,
Ci.

9 comentários:

Andréa disse...

Parabéns!! Finalmente a saga terminou e agora é só curtir o Bunny "sem restrições"...

Beijocas pra vocês e uma cenourinha pro Bunny!

Andréa

Re disse...

Oi Ci!!
Parabéns!!! que notícia ótima....
Nossa menina, foi uma super aventura levar o Bunny mas eu te entendo perfeitamente!
O amor que a gente sente, dá e recebe desses fofos vale todo o esforço.
A gente até já começou a ensinar a Juju a latir em inglês! hehehe
Abraço

Silney disse...

Que aventura heim!!! mas é como vc falou mesmo... é um amor incondicional ne?..
Vc chamando o bunny de mimadinho..eu me vi..falando do meu Otto... pinscher....q é todo mimado...rs...e com toda certeza vai conosco...só nao sei se posso entrar como turista com cachorro na mão!.. preciso começar a pesquisar sobre isso.
Mas q a a saga terminou....agora é só curtir todo o resto.
beijosssssss

Anônimo disse...

Olá,

Estava olhando seu blog e achei super interessante, e inclusive, gostaria de fazer uma troca de links contigo.
Tenho um site/blog sobre o Canadá, sob o endereço http://canadabrasileiro.wordpress.com

Mantendo o site, meu objetivo é passar às pessoas percepções sobre o este país o qual atrai milhares de brasileiros e continua ano após ano, a bater recordes de estudantes enviados às suas cidades. Enfim, mostrar como é o cotidiano no país.

Ficarei aguardando respostas.

Thanks... e sucesso para ti ;)

Claudia disse...

Oi Ci!!!

Que bom saber que a situacao do Bunny tah resolvida :D
Fiquei muito feliz com a noticia!!!

Td de bom para vc., Daniel e Bunny!!!
bjs
Claudia

Jeanne disse...

Muita gente acha tudo isso por que passamos um absurdo. Eu mesma enfrentei uma saga pra trazer os meus pra cá, mas como vc mesma disse, só quem gosta sabe o que é.
Eu fiquei longe dos meus quase 2 meses depois que vir pra cá e tb quase chorei quando vi a carinha deles lá no depósito da Air Canada.
Boa sorte para o Bunny e para vcs.
Bjs

Rosa disse...

Parabéns Cinthia pela tua persistência! Sei que colherás muitos sucessos aqui no Canada com toda esta garra. To com saudades! Um dia quero ter o prazer de conhecer pessoalmente o bunny.
Beijos
Rosa
http://casanocanada.com

Léo disse...

Oi Dan e Ci, parabéns pelo Blog! Me chamo Leonardo e gostaria de entrar em contato com vocês por email, pois tenho uma situação semelhante podendo ocorrer em breve - talvez eu seja transferido para Toronto e eu quero levar meu coelhinho anão. Meu email - leorjnet@gmail.com

Valeriana disse...

Olá, me chamo Valeriana e sou de Londrina Paraná, e estava pesquisando como levar nossa coelha para o Canadá, já que estamos querendo ir morar lá... e por uma mão divina achei seu blog que me esclareceu todas as dúvidas iniciais que temos.... Estava de coração partido em pensar de ir embora e deixar nossa pequena aqui. Estamos bem mais tranquilos agora que sabemos que é possível.
Obrigada pelas informações... se quiser manter contato valeriana@brtipo.com
Bjus